quinta-feira, 13 de junho de 2019

5ª Edição do Circuito Sítios Históricos da República na 17ª Semana de Museus

Neste ano o Circuito se iniciou no Centro Cultural da Light que faz parte da nova Rede Cultural Campo de Santana.


O Museu Casa de Benjamin Constant e o Museu da República realizaram, na 17ª Semana Nacional de Museus, de 13 a 17 de maio últimos, a 5ª Edição do Circuito Sítios Históricos da República. Lançado em 2009, o projeto completou 10 anos e já atendeu a centenas de participantes, tendo, também, capacitado guias de turismo e professores. Em 2019, celebramos a primeira década do projeto e retornamos com mais uma edição e novas parcerias, agora integrando a Rede Cultural Campo de Santana. Criada em 2018 a partir da interlocução entre o Curso de Turismo da UniRio, o Museu Casa de Benjamin Constant e o Museu da República, a rede congrega várias instituições da região e tem o objetivo de promover, em conjunto, a proteção, valorização e a governança da Praça da República. Além de ser o sítio histórico da Proclamação da República, é naquela praça que está localizada a maior área verde com centro da cidade: o Campo de Santana, tombado como patrimônio.

Desta vez visitamos o Centro Cultural Light, que apresentou aspectos do início do século XX vinculados à expansão da energia elétrica que marcou as primeiras décadas da República. Dali caminhamos até a Faculdade Nacional de Direito, da UFRJ. No trajeto, o museólogo e guia de turismo Andre Angulo, do Museu da República, abordou a riqueza arquitetônica do entorno do Campo de Santana, com suas fachadas Art Decó, Neoclássicas e ecléticas.

Imagem dentro da Faculdade Nacional de Direito da UFRJ, um prédio icônico do Centro do Rio.


Os alunos extensionistas do projeto “Conhecendo a Faculdade Nacional de Direito” mediaram a visita ao Palácio do Conde dos Arcos, que abrigou o Senado Imperial e Republicano. Prédio também histórico por ser a casa da Faculdade Nacional de Direito da UFRJ. Sob muita chuva, mas sem perder a empolgação, saímos da FND e nos dirigimos ao Campo de Santana, onde fomos recebidos pela Fundação Parques e Jardins. Ali ouvimos sobre a história do campo e de seus aspectos paisagísticos.

O dia era de chuva, mas o grupo foi até o Monumento a Benjamin Constant, dentro do Campo de Santana.


No centro dessa notável área verde, está localizado do Monumento a Benjamin Constant. Inaugurado em 1926 onde hoje passa a Avenida Presidente Vargas, o conjunto escultórico de matriz positivista foi transferido para seu local atual em 1949. O historiador Marcos Brum, do Museu Casa de Benjamin Constant, mediou a visita abordando alguns dos muitos simbolismos do monumento. Por fim, nos dirigimos ao Centro Cultural Museu da Casa da Moeda. Ali visitamos três exposições, todas mediadas pela excelente equipe da casa: Quando nem tudo era gelo, mostra oriunda do Museu Nacional; Nota Real, sobre a trajetória das cédulas do Plano Real, incluindo aspectos de segurança; e a mostra de longa duração do museu, com acervo próprio. Vale ressaltar que o Centro Cultural Museu da Casa da Moeda está localizado no prédio do primeiro museu do país, o Museu Real. Fundado em 1818, foi a República que o transferiu para a Quinta da Boa Vista, já como Museu Nacional, tão querido de todos nós.

E o passeio terminou nos salões de exposição do Centro Cultural Museu da Casa da Moeda, novo valioso ponto de cultura no centro do Rio.