quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Parceria Rede Ecológica e Museu Casa de Benjamim Constant


E, nesta semana, estamos em plena Primavera dos Museus! O evento fomentado e coordenado pelo IBRAM - Instituto Brasileiro de Museus - autarquia ligada ao MinC - Ministério da Cultura, a qual somos vinculados - vai até o próximo domingo, dia 25/09, com a participação de mais de 750 instituições culturais de todo o país. E o tema deste ano - "Museus, Memórias e Economia da Cultura" - destaca o importante papel social desempenhado pelos museus na promoção de trocas simbólicas, culturais, de saberes e de experiências, assim como sua contribuição para a dinamização da cadeia produtiva da cultura de modo sustentável. Daí que tivemos a ideia de mostrar uma iniciativa pequena de que fazemos parte, que justamente toca o tema "economia criativa".



Desde o ano passado abrimos nosso espaço verde aos sábados pela manhã para a entrega de alimentos orgânicos aos associados do Núcleo Santa Teresa da Rede Ecológica, que congrega grupos de consumidores que realizam compras coletivas diretamente de pequenos produtores. Então, pedimos ao pessoal da Rede que nos enviasse um texto sobre como esta parceria os ajudou, no que fomos gentilmente atendidos por Talita Miranda e Pedro Cooper, participantes do grupo.. Leiam abaixo como pudemos ajudar nesta ideia tão interessante, importante, e possivelmente um embrião de muitas outras boas ideias ligadas à economia de base sustentável!

Pela manhã, os alimentos são separados e organizados em cestos para os associados que vêm buscá-los.
A entrega é feita na área de nosso Canteiro Ecológico.


"A Rede Ecológica é um movimento social que visa a fomentar o consumo ético, solidário e ecológico. É constituída de grupos de consumidores que realizam compras coletivas diretamente de pequenos produtores agroecológicos / orgânicos. Nascida em outubro de 2011, a partir da iniciativa de alguns moradores no bairro da Urca, a Rede Ecológica possui atualmente diversos núcleos nas zonas sul e oeste da cidade do Rio de Janeiro, em Niterói e Região Serrana.

Já perto da hora do almoço, as cestas prontas para serem entregues aos associados do
Núcleo Santa Teresa da Rede Ecológica.
As compras coletivas são uma modalidade de consumo consciente proposta pela economia solidária. Nas compras coletivas o consumidor muda de receptor passivo para agente ativo, que compreende melhor a vida dos produtores e o processo agrícola. Os grupos de compras são autogestionários e buscam garantir relações simétricas e harmoniosas entre o campo e a cidade, bem como condições de trabalho justas e de respeito ao meio ambiente. São compras diferentes das feiras porque o produtor geralmente não está presente. Os consumidores se organizam para facilitar este trabalho para o produtor, que exige tempo e dinheiro de sua parte.

Legumes, verduras, frutas e também alguns produtos como ovos e processados também são fornecidos.

Além das compras coletivas, a Rede Ecológica desenvolve uma série de atividades externas relacionadas ao reaproveitamento de embalagens, agro turismo, representação em campanhas, grupos de trabalho e organizações envolvidas com as temáticas de segurança alimentar, agricultura urbana, agroecologia e economia solidária. Tais atividades vêm se tornando cada vez mais importantes para alimentar as mudanças que consideramos tão necessárias em nossa sociedade, em direção a uma ideologia mais agro ecológica.



A Rede também já conta com alguns produtos orgânicos embalados por fornecedores.

O núcleo Santa Teresa se iniciou em 2002, sendo que na época os produtos eram trazidos por uma Kombi que os entregava em vários pontos do bairro. Sua “sede” passou pela escolinha Casa Monte Alegre, por uma casa ocupada onde um grupo desenvolvia trabalhos culturais, pela Igreja Anglicana do bairro, pelo Centro Cultural Casa do Barão, pelo Colégio Estadual Monteiro de Carvalho e nos últimos dois anos se abriga no Museu Casa de Benjamin Constant. Fomos acolhidos pela equipe do Museu, estabelecendo uma parceria que nos ensina a cada dia como respeitar e ao mesmo tempo usufruir do patrimônio, estabelecendo outras relações possíveis com um espaço histórico. O Museu é unânime, dentre os associados antigos do núcleo, como sendo o local mais completo, agradável para a realização das entregas. Além da beleza e tranquilidade do espaço, da segurança e do bom convívio com os(as) funcionários(as), há também o alinhamento com práticas agroecológicas. Isso porque o Museu, por iniciativa própria, realiza coleta seletiva de lixo, compostagem de matéria orgânica, minhocário e cria canteiros com mudas orgânicas. Tudo isso garante harmonia e simbiose nessa relação próspera entre o Museu Casa de Benjamim Constant e a Rede Ecológica, que até já gerou um evento em conjunto na Semana de Museus de 2015, cujo tema foi sustentabilidade. Esperamos que assim seja continue sendo por muito tempo!"

Os participantes do Núcleo Santa Teresa da Rede Ecológica em evento em nosso parque.

Nós também ficamos muito orgulhosos em poder apoiar um pouquinho a Rede, recebendo o grupo em nosso espaço. E esperamos que a parceria cresça muito mais. Obrigada a todos os participantes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!