sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Que árvore é essa? O Abieiro ou a árvore do Abiu

A poderosa árvore do Abiu: o Abieiro em nosso parque.

Continuando a série que começamos no mês de junho aqui no blog - você não viu o post sobre o Abricó de Macaco? - hoje vamos falar sobre uma árvore "antiga", pois muitos que nos visitam, se não estão acompanhados por seus avós, ao se deparar com a plaquinha do "Abiu", nos perguntam "Que Árvore é Esta?". Ou seja: os mais jovens não conhecem nem o fruto, nem a espécie.

O Abiu ainda no pé.

O Abiu é um fruto muito comum no Rio de Janeiro e encontrava-se nas ruas da cidade como a Mangueira e o Sapoti, por exemplo. Com o passar dos anos, foi desaparecendo e caiu no esquecimento das pessoas, mas é uma espécie típica da América do Sul - aparece na Bolívia, na Colômbia, na Venezuela, no Equador, no Peru e nas três Guianas - e no Brasil, desde a Amazônia e na mata Atlântica, da costa de Pernambuco até o Rio de Janeiro. Sua árvore, o Abieiro (Pouteria caimito) também é conhecida como Abiurana, Guapeva ou Cabo de Machado (na região Centro Oeste), é da família Sapotaceae.

O fruto maduro.


Abiu é amarelo, redondo, e consumido somente ao natural. Possui muitas qualidades, pois é rico nas vitaminas A, C e nas do complexo B. Diz se também que é de grande utilidade nas afecções do aparelho respiratório e como tônico geral. Mesmo assim, permanece como árvore de quintal e de pomares não comerciais.


Mais uma visão do Abieiro.

Em nosso parque possuímos alguns Abieiros. O que mais chama atenção dos visitantes fica perto da Casa de Bernardina e, nesta época do ano, muito fria, não produz frutos. Veja o que nos diz João de Oliveira, encarregado de nosso parque: “O Abieiro tem como melhor época para plantio os meses de outubro e novembro, e frutifica normalmente entre os meses de fevereiro e abril. Por ser uma árvore muito alta (acima de 5 metros de altura) e de ter raízes grandes, muitas vezes ela impede que outras espécies possam ser plantadas próximo a ela. Não é muito recomendada para praças, e sim para locais mais amplos como chácaras e fazendas. Seu fruto é doce (deve se ter cuidado com o látex presente na casca), e pode servir de alimento para animais como morcegos e pássaros. Sua manutenção não requer muitos cuidados.” 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!