terça-feira, 23 de agosto de 2016

O dia (e o mês) do Folclore


A literatura de cordel vem da Região Nordeste e se espalha por todo o país.


Neologismo criado em 22 de agosto de 1846 quando o arqueólogo inglês Ambrose Merton enviou uma carta à revista The Athenaeum, de Londres, usando os vocábulos da língua inglesa "FOLK" e "LORE" (respectivamente "povo" e "saber"), a palavra FOLCLORE passou a ter o significado de "saber tradicional de um povo". Desde então o termo passou a ser utilizado para se referir às tradições, costumes e superstições das classes populares e, mais tarde, a designar toda a cultura nascida principalmente nessas classes, dando ao Folclore o status de "história não escrita de um povo". E o dia 22 de agosto ficou internacionalmente marcado como o Dia do Folclore, sendo que, em alguns países, incluindo o nosso, a festa se comemora durante todo o mês.

Tendo origem na Região Sul de nosso país, a lenda do Saci Pererê é uma das mais conhecidas
em todo o país. Na imagem, três desenhos do mito.

O interesse pelo assunto nasceu na Europa, entre o fim do século XVIII e o início do século XIX, quando estudiosos como os Irmãos Grimm iniciaram pesquisas sobre a poesia tradicional na Alemanha. Verificou-se que a cultura popular era extremamente rica, altamente criativa e muito vasta. O interesse pelo estudo do Folclore se espalhou por outros países e se ampliou para o estudo de outras formas literárias, músicas, práticas religiosas e outros fatos chamados na época de "antiguidades populares". E mesmo que os avanços registrados na ciência e na tecnologia tenham levado ao descrédito várias dessas tradições populares, a influência do pensamento positivista no século XIX contribuiu para homenageá-las, entendendo-as como "elos" na cadeia de saberes, que deveriam ser compreendidas para se entender a sociedade. Logo houve a percepção de que a cultura popular poderia desaparecer devido a novos modos de vida, e seu estudo se intensificou, ao mesmo tempo em que esses saberes passaram a ser usados como elemento de obras artísticas, inclusive pertencentes à cultura erudita.

O Reisado aparece em diversas cidades de norte a sul do país,
mas é muito festejado na região Centro Oeste.

O estudo do Folclore chegou ao Brasil na segunda metade do século XIX através de estudiosos como Celso de Magalhães e Sílvio Romero, que passaram a pesquisar as manifestações folclóricas nativas e a publicar estudos a respeito, lançando no país os fundamentos do folclorismo, a ciência que estuda o Folclore, e que levou um século para conquistar prestígio no mundo acadêmico brasileiro.

Parte do artesanato tradicional indígena, a cerâmica marajoara,
encontrada na região Norte, é parte importante de nossas tradições.

Todos sabem que o Folclore Brasileiro é dos mais ricos, representando com facilidade a identidade social de várias comunidades através de suas criações culturais, coletivas ou individuais. É parte essencial da cultura do Brasil embora apenas a partir da década de 1970 o folclorismo nacional foi institucionalizado e recebeu conformação conceitual. As contribuições são as mais variadas, com destaque para a portuguesa, a negra e a indígena, o que levou a uma intensa diversificação das tradições e costumes populares. Hoje, o estudo de sua composição é das maiores, além de receber larga divulgação interna e internacional, constituindo-se como elemento importante da própria economia do Brasil, pela geração de empregos, pela produção e comércio de bens associados e pelo turismo cultural, que incentiva e dinamiza.

Na região sudeste, a Feijoada é prato típico do Rio de Janeiro,
assim como o Tutu à mineira é das Minas Gerais.


As manifestações são muitas e podemos citar como mais conhecidas as danças, as festas tradicionais, as brincadeiras, a religiosidade, as lendas, o artesanato e os pratos e bebidas típicos de cada região. Quase não é possível registrar todas as manifestações folclóricas mantidas espontaneamente por nosso povo, devido ao nosso vasto território nacional e também a intensa diversidade entre elas. Mas, com certeza, é fácil perceber que se trata de um estudo fascinante e sem fim, visto que as mudanças na sociedade estão sempre acontecendo e que nosso povo valoriza muitíssimo os saberes e prazeres que já fazem parte de seu dia a dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!