quarta-feira, 22 de junho de 2016

Retratos: registros históricos das pessoas

O registro de BC jovem, ao ir para a Guerra do Paraguai, cuja face foi reproduzida
e guardada com amor por sua esposa em um broche, mesmo após seu falecimento.


Quando uma pessoa 'sai da vida e entra para a história" - frase célebre esta, hein? - os retratos são uma das principais formas de nos lembrarmos delas. Não apenas sua fisionomia, mas também seu jeito de ser, de olhar, de fazer, de agir e de viver, enfim. Um todo como a conhecemos. Com Benjamin Constant não foi diferente, claro. E quem o conheceu teve a sorte de guardá-lo na memória e também através de alguns poucos registros fotográficos já presentes em seu período de vida, ainda que em processos muito experimentais - como já falamos aqui - ou ainda de alto valor.

O broche de Maria Joaquina repassado a sua filha Alcida.

Na peça que foi de Maria Joaquina, sua esposa, depois repassada à sua filha Alcida, hoje parte de nosso acervo, surge uma reprodução de uma foto de Benjamin Constant quando jovem, com 30 anos, registrada no ano de 1866. É uma fotografia feita em Albumina, que também faz parte de nosso acervo fotográfico, completa, sem cortes. Mas aqui ela fez parte deste objeto que era comum, um broche que guarda imagens, que sua viúva devia usar diariamente junto ao seu corpo como um testemunho de sua saudade cotidiana.

O broche comemorativo do centenário de nascimento de Benjamin Constant.


Outra peça de nosso acervo, também um broche, confeccionado em material sintético, impresso em 1936, deve ter sido distribuído a parentes e amigos do antigo professor por ocasião do centenário de seu nascimento. Neste caso a imagem de Benjamin Constant que se desejou divulgar era a de homem adulto e sério, mais velho e mais responsável que a anterior. O que hoje seria chamado de "botton", deve ter sido usado como um broche, lembrando daquele que tantas lições e amizade havia distribuído um dia a seus discípulos e amigos, filhos e genros, parentes e agregados.

É para se refletir o quanto da história de uma pessoa permanece através de suas imagens. Hoje em dia, quando virtualmente qualquer indivíduo produz dezenas (senão centenas) de imagens de si mesmo todos os dias, é fato corriqueiro se descartar fotografias. Mas, no tempo de vida de nosso patrono, ter apenas UM registro de uma pessoa era muito difícil. É bom ter isto em mente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!