sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Novo fundo em nosso Arquivo Histórico: Agliberto Xavier

Imagem de nosso acervo fotográfico do engenheiro e discípulo de Benjamin Constant,
Agliberto Xavier, que agora tem um fundo de documentos específico em nosso Arquivo Histórico.

Nascido no Rio de Janeiro em 1869, Agliberto Xavier formou-se pela antiga Escola Polythécnica do Rio de Janeiro, onde foi aluno de Benjamin Constant. Trabalhou como Engenheiro civil e foi um dos maiores defensores póstumos de nosso patrono, sempre divulgando seu legado político e filosófico. Envolveu-se com associações de caráter positivista e proferiu diversos discursos em homenagem e defesa de seu “mestre”, Benjamin Constant. A proximidade entre Agliberto Xavier e a família do seu professor fez com que parte do seu arquivo pessoal se juntasse ao conjunto de documentos preservados pelos descendentes de Benjamin Constant e que hoje dá base ao novo fundo de documentos de nosso Arquivo Histórico.

Cabe explicar que um fundo arquivístico é um tipo de organização, uma categoria de conjuntos de documentos, que segue as "leis" da arquivologia:
1 - Respeito à procedência e
2 - Respeito à ordem original.

Ou seja: a ideia é manter juntos documentos que foram gerados por uma mesma pessoa física ou jurídica ("Lei da Procedência") e organizar o fundo com a ordem que o produtor deu, que pode ser cronológica, temática, etc. ("Lei da Ordem Original"). Segundo nosso historiador Marcos Lopes, "nosso trabalho é preservar isso, já que não só a unidade documental é um testemunho, mas também a organização como um todo pode testemunhar escolhas do produtor quanto ao sentido que desejou dar aos documentos".

Um documento do Fundo Agliberto Xavier.


Mas, voltando à novidade, o novo fundo de nosso Arquivo, chamado "Agliberto Xavier" é composto por dois principais tipos de documentos: cartas e textos, que contêm artigos e discursos que versam sobre o Positivismo, sua realidade na sociedade brasileira e a defesa da atuação de Benjamin Constant na propagação de tal doutrina filosófica.

O grupo de documentos é pequeno - apenas 62 foram catalogados - mas a importância do fundo é bastante grande para nosso Arquivo, já que evidencia como o Positivismo se desenvolveu após a passagem de nosso patrono, através de seus alunos e seguidores.

Novamente, Marcos Lopes esclarece: "Eu destacaria os documentos do "Clube Republicano Benjamin Constant", grupo Positivista composto por amigos e ex-alunos de Benjamin que se propunha a divulgar o Positivismo. Tal clube se comunicava com o "Groupe D´Action Positiviste", de Paris, que era dissidente do pensamento positivista francês dominante à época. Recentemente, alguns itens dessa série já possibilitaram um intercâmbio de documentos e informações entre nosso museu e a "Maison Auguste Comte", em Paris".

Em resumo, um belo trabalho de catalogação e mapeamento histórico feito por nossa equipe, agora disponibilizado a estudantes e pesquisadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!