sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Você sabe o que é Agricultura Orgânica?

O apelo dos orgânicos nos mercados.

Você se lembra como foi "ecológica" a comemoração do aniversário de nosso museu neste ano? Pois é, no post que fizemos a respeito falamos sobre como aprendemos durante o evento daquele dia, e hoje trazemos pra você um pouquinho disso.

Uma das coisas que aprendemos foi a respeito da Agricultura Orgânica: a agricultura orgânica - ou Agricultura Biológica - já é praticada há muitos anos pelos produtores rurais que não concordam com o uso de pesticidas e fertilizantes químicos (geralmente tóxicos), nem de organismos geneticamente modificados, nem tampouco de técnicas artificiais de modificação do solo (para torná-lo mais produtivo), além de outros diversos expedientes desenvolvidos para "tirar o máximo" de determinada região utilizada para plantio. O respeito ao solo, às características das espécies cultivadas, ao clima da região, ao ecossistema biológico que se forma ao redor de uma plantação e, enfim, aos ciclos naturais que regem uma área destinada ao cultivo de alimentos, é a base desta (quase) "filosofia" de cultivo agrícola. Para quem a pratica, há diversos expedientes naturais para combater pragas, para tornar o solo mais fértil, para renová-lo e fazer com que o espaço continue produtivo e saudável.

Respeitar o solo: base da agricultura orgânica.

Segundo quem pratica a agricultura orgânica, a ênfase deve ser dada ao solo. A ideia é a de que os alimentos cultivados em um solo saudável, mantido sem o uso de fertilizantes e pesticidas químicos, têm qualidade superior a de alimentos ditos "convencionais". Diversos países já adotaram programas e padrões para a regulamentação e desenvolvimento desta atividade. A utilização de adubo orgânico e "verde", a rotação de culturas, a compostagem e o controle biológico de pragas e doenças são práticas desta modalidade de agricultura, que pressupõe ainda a manutenção da estrutura e da profundidade do solo. Diretamente relacionada ao desenvolvimento sustentável, esta forma de cultivo tem recebido adeptos que se colocam contra a produção em massa de alimentos e valorizam a qualidade de vida de quem consome seus produtos, cuja produção respeita o solo, o ar, as matrizes energéticas e, principalmente, o ser humano.

2 comentários:

  1. Muito interessante o post. Temos que valorizar sempre as boas práticas. Teria espaço no Museu para implantar uma agricultura orgânica? Seria legal.

    ResponderExcluir
  2. Olá Fernando, gratos pela visita e pelo comentário.
    Aqui no Museu já temos nosso Canteiro Ecológico, com uma pequena horta e sementeira, onde as práticas de agricultura ecológica e agroecologia são postas em prática de forma educativa, para que possamos disseminar estas informações para a comunidade como um todo.
    Um abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!