terça-feira, 9 de abril de 2013

O charme do século XIX: penteando os cabelos

Se você já esteve em nosso museu, certamente viu este curioso espelho:



Se não, deve estar se perguntando: para quê e como era utilizada esta peça?

Pois bem: Maria Joaquina Constant, esposa de Benjamin Constant, e suas filhas, eram adeptas das modas do século XIX. Em nosso acervo possuímos uma linda travessa de cabelo, feita em casco de tartaruga, tendo em sua parte superior - uma lâmina em metal curva, com decoração vazada - a aplicação de pedras de ônix, por exemplo. Mas, além de perucas e apliques, este espelho duplo era um elemento que auxiliava em muito à verdadeira "confecção" dos penteados das mulheres da família pois, usando tal espelho, era mais fácil enxergar como o penteado estava na parte de trás da cabeça - e era fundamental que todo o conjunto ficasse harmonioso, obviamente. O exemplar que possuímos está fixado no quarto do casal, mas haviam outros nos quartos das moças.

A belíssima travessa de cabelos com aplicação de pedra ônix que faz parte de nosso acervo. Provavelmente pertenceu à Maria Joaquina, ou a uma de suas filhas.

Mas há muito a dizer sobre os penteados do século XIX: desde 1800, com as descobertas arqueológicas sobre a vida na Grécia e na Roma antigas, homens e mulheres desejaram reviver um pouco desta época clássica de inúmeras formas. Uma delas foram os penteados que, se nos homens já eram elaborados, nas mulheres beiravam ao exagero.

No quadro pintado por Décio Villares, Maria Joaquina Constant posa como uma bela senhora de sua época: os cabelos? Presos em coque com o uso de uma mantilha.

É preciso lembrar que, via de regra, as mulheres mantinham suas madeixas bastante longas e presas. Uma "mulher de família" jamais apareceria em público com os cabelos completamente soltos: isso era reservado ao quarto de vestir (boudoir) ou de uso das cortesãs, porque o cabelo feminino era considerado um signo de erotismo. No caso de eventos noturnos, que eram raros no Brasil, era permitido usar os cabelos parcialmente soltos com penteados mais elaborados.

Os elaborados penteados do século XIX. Fonte: Blog Memória Vintage.

Normalmente os cabelos eram escovados duas vezes por dia. Os penteados tornaram-se tão complexos no final do século XIX que o cabelo era sustentado com almofadas e arames e apliques. Também o uso de perucas e chapéus criaram estilos únicos que marcaram o período.

O penteado "Apollo Knot" e a tiara "Sphendone". Fonte: Blog Memória Vintage.

Um dos penteados mais populares até 1900 era o chamado "Apollo Knot": dividia-se o cabelo em três partes, sendo um coque no alto da cabeça, e cachos pequenos soltos em ambas as laterais. Para complementá-lo, se usavam presilhas, flores ou o "Sphendone", que era uma tiara usada na Grécia Clássica.

O penteado "Pompadour". Fonte: Blog Memória Vintage.

Outro penteado também bastante popular entre as mulheres era o chamado "Pompadour", que na verdade era uma variação do "Apollo Knot": montava-se com uma espécie de topete alto e laterais eram presas geralmente em um coque discreto na parte de trás da cabeça.

Muito populares durante os anos 1800, as perucas e os apliques ajudavam principalmente as mulheres que desejavam alcançar penteados da moda que exigiam cachos abundantes. Quem não possuía caracóis suficientes usava um aplique chamado “la folie cachée” ou perucas fartas para adicionar o volume necessário de cabelo.

Em resumo, os cabelos - femininos e masculinos - do século XIX são um capítulo dos mais interessantes do modo de vida da época.

Fontes:
Blog Memória Vintage
Blog Diários Anacrônicos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!