terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O que é Positivismo? - PARTE II

Veja aqui a primeira parte deste post...
 
Logotipo da Sociedade Positivista do Rio de Janeiro, fundada em 1881. Base do lema de nossa bandeira nacional.
Diferentemente da Europa, onde as ideias positivistas influenciaram as ideias econômicas, no Brasil, essa corrente filosófica adquire um caráter político, que repensa a ordem político-social vigente, definindo uma nova consciência da realidade. O positivismo é iniciado no Brasil através do cientificismo, sendo introduzido nas escolas através das ciências exatas, principalmente a matemática. Os intelectuais da época encontraram no positivismo uma maneira de acabar com o poder da elite e de estabelecer o fim da Monarquia. Segundo esses intelectuais, a única maneira de se alcançar o estado positivo, de acordo com as ideias de Comte era estabelecer uma "república ditatorial".

Miguel Lemos, Benjamin Constant e Teixeira Mendes, intelectuais à sua época, fundaram a Sociedade Positivista do Brasil, em 1876. Após a criação da Igreja, já em 1882, Benjamin Constant rompe com os apostólicos, por discordar do caráter religioso que esses ortodoxos praticam em relação às ideias de Comte. Mas antes disso Benjamin se utilizou muito de diversas ideias positivistas. Vamos ver como.

Miguel Lemos e Teixeira Mendes, positivistas brasileiros.

Na Escola Militar o positivismo é iniciado na década de 1850, por intermédio da matemática. “A maioria dos autores adotados nos compêndios adotados na Real Academia Militar, por determinação expressa do seu estatuto, representava o moderno pensamento científico europeu.” (LEMOS, 1999, p. 32) O positivismo representava o pensamento moderno europeu, com o qual os militares queriam estar de acordo. Estas ideias eram imprescindíveis para sua formação: os jovens oficiais aprendiam as ideias positivistas, assim como as republicanas, abolicionistas e evolucionistas. Assim, os militares encontraram maneiras de exigir seus direitos, contrariando a política vigente. Muitos oficiais retornaram da Guerra do Paraguai insatisfeitos com a Monarquia. Entre os motivos de insatisfação, está a questão da escravidão. A pedido de Benjamin Constant, em outubro de 1887, Deodoro da Fonseca, presidente do Clube Militar, ordena que todos os militares parem de perseguir escravos fugitivos. Essa atitude dificulta a captura destes escravos, pois os senhores contavam com a ajuda militar para resgatar seus cativos. Assim como os militares, alguns abolicionistas eram simpatizantes do positivismo. Este era o caso de José do Patrocínio, que era abolicionista e adepto das ideias positivistas. O movimento da Proclamação da República foi feito por militares positivistas. E um dos grandes responsáveis pela Proclamação da República foi Benjamin Constant, um dos fundadores da Sociedade Positivista. Através dele os jovens oficiais adquiriram uma consciência republicana, que acarretou na instauração deste regime político no Brasil.

Atualmente, no Brasil, os ideais positivistas já não possuem destaque no meio político. Sua principal representação é através do apostolado. Ainda hoje, existem duas Igrejas positivistas no Brasil, uma delas localizada no Rio de Janeiro e outra em Porto Alegre.

PS: leia mais sobre o Positivismo no Brasil no artigo de Rafael Augusto Sêga na revista on line História Viva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!