terça-feira, 18 de dezembro de 2012

18 de dezembro: Dia do museólogo

Museólogos cuidando de acervo.
Comemoramos hoje o dia do museólogo e decidimos prestar uma pequena homenagem através deste post a estes profissionais que trabalham com o material vivo de nossa cultura sob inúmeras formas, esclarecendo algumas coisas que pouco se sabe - ou, que pouco se entende - entre a população de nosso país sobre esta bela profissão.

Organizar exposições visualmente atraentes e com conteúdo interessante é um dos trabalhos do museólogo. Na imagem, o Museu do Miojo, no Japão.



  • O que é ser museólogo? Segundo o COFEM (Conselho Federal de Museologia), "o museólogo atua na área de cultura e patrimônio, voltado especialmente para a preservação, investigação e comunicação dos bens culturais, materiais ou imateriais de uma sociedade". Isto quer dizer que o trabalho do museólogo não se concentra apenas nos museus, nem mesmo apenas se preocupando em preservar objetos históricos. Ele também pode divulgar o acervo com o qual trabalha para que todos tomem conhecimento de sua importância na cultura de um país, território, nação ou, até mesmo a nível mundial. O trabalho de pesquisa é sempre incessante e envolve o conhecimento de descobertas, teses e trabalhos de outros pesquisadores que atingem ou tocam seu trabalho.

    Importante enfatizar que o museólogo trabalha com bens culturais materiais, isto é, objetos de arte, históricos, tecnológicos, fósseis, etc. e também com imateriais, como danças, cânticos, cerimônias, modos de fazer artesanato, modo de preparo de pratos típicos, entre outras diversas "coisas" que não podem ser exibidas ou guardadas num acervo, mas que fazem parte da cultura de uma sociedade. Esta é uma nova faceta do trabalho do profissional e, em nosso país, há muito a ser feito em termos da preservação destes "saberes e fazeres".

  • Futuro "Museu do Futebol do Mineirão", estádio principal da capital de Minas, Belo Horizonte.



  • Como trabalha um museólogo? Além do trato com o acervo no dia a dia de museus, instituições de pesquisa, museus de empresas, parques, zoológicos, galerias de arte, centros de documentação e memória, entre outras instituições, o museólogo também planeja e organiza exposições - enfatizando um ou outro aspecto de uma coleção, ou de várias - propaga o conhecimento que obtém através de ações educativas junto a grupos específicos como trabalhadores, estudantes ou a população de uma determinada região, administra museus ou qualquer das instituições onde trabalha, leciona seu aprendizado em universidades e treina pessoas. Enfim: uma atividade ágil, variada, permeada de novidades e não algo estático, imutável ou "antigo" como normalmente se imagina.


  • Moças participando da festa do Reisado em Sergipe: patrimônio imaterial brasileiro.


  • Como é o trabalho em museologia no Brasil de hoje? Há tempos os museus deixaram de ser vistos simplesmente como um espaço que guarda peças antigas, desconectadas do cotidiano da população e da atualidade. Hoje, os museus já são encarados como espaços de conservação e preservação de coleções de caráter cultural a técnico-científico, que dialogam com seu público e que difundem conhecimento, além de contribuirem para o desenvolvimento de setores como o turismo e a geração de empregos. Em levantamento feito pelo Cadastro Nacional de Museus, existem no Brasil hoje 3.025 museus, dado publicado pelo Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM em 2010. "É um campo em expansão, com franco desenvolvimento e singular organização", afirma Maria Cristina Oliveira Bruno, museóloga e coordenadora do programa de pós-graduação Interunidades em Museologia da Universidade de São Paulo (USP). Nos últimos anos houve mudanças significativas na área: em 2003 foi instituída a Política Nacional de Museus e, em 2009, foram criados o Estatuto dos Museus e o IBRAM, uma autarquia vinculada ao Ministério da Cultura, que coordena a Política Nacional de Museus.


  • Em resumo, o museólogo é um profissional que deve ser bastante dinâmico, atualizado, que conheça bem da história de seu objeto de trabalho ou estudo, e da história em geral, de modo a poder desenvolver a cada dia mais o potencial cultural com o qual lida. Trata-se de uma área em expansão em nosso país e ainda muito pouco conhecida. Museus voltados para comunidades específicas, etnografia, de ciência e tecnologia, meio ambiente, a ecologia e a sustentabilidade, além de sítios arqueológicos, jardins botânicos, aquários e coleções particulares são novos locais de trabalho que precisam de profissionais que saibam lidar com seus bens culturais. Até mesmo legalmente o país já firmou a obrigatoriedade da existência de um museólogo por museu em seu quadro de colaboradores. Se você é jovem, gosta de conhecer sobre arte, cultura e história e é bastante curioso, talvez esta seja a sua futura área de trabalho!

    E parabéns a todos os museólogos!

    Fonte: Periódico "Ciência e Cultura", da SBPC.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!