segunda-feira, 19 de novembro de 2012

19 de novembro, dia da Bandeira

Para nós do Museu Casa de Benjamin Constant o Dia da Bandeira tem um significado especial. Tendo cuidado de sua criação com todo esmero e carinho, Benjamin Constant teve auxílio de suas próprias filhas e de sua esposa, Maria Joaquina, na confecção de sua ideia. Procurar o tecido, bordar as estrelas e o lema, caprichar no acabamento, tudo isso teve lugar no seio da família Constant. E hoje vai nossa singela homenagem a este símbolo tão querido: um trecho do Hino à Bandeira - com música de Francisco Braga e letra de Olavo Bilac interpretado no pistom por nosso colaborador, Edivaldo Coelho do Amaral:



Salve, lindo pendão da esperança,
Salve, símbolo augusto da paz!
Tua nobre presença à lembrança
A grandeza da Pátria nos traz.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul,
A verdura sem par destas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever;
E o Brasil, por seus filhos amado,
Poderoso e feliz há de ser.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Sobre a imensa Nação Brasileira,
Nos momentos de festa ou de dor,
Paira sempre, sagrada bandeira,
Pavilhão da Justiça e do Amor!

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!