quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Benjamin Constant: um cidadão singular


Em que pese a data de seu nascimento ser em 10 de fevereiro, em função de um incidente grave em sua infância, Benjamin Constant considerava 18 de outubro a data de seu "re-nascimento". Seguindo esta simbologia esta foi a data escolhida para abertura de nosso museu, no ano de 1982. A museóloga Hercília Canosa Viana teve o privilégio e o desafio de ser a primeira diretora da instituição e de contribuir enormemente na pesquisa e organização de nosso museu. Mas hoje gostaríamos de destacar algumas facetas da figura histórica que nos chamam a atenção: Benjamin foi um homem muito dedicado ao próximo. Além de seu círculo familiar e de amigos, sempre esteve preocupado com os homens seus concidadãos, incluindo aqueles que, naquele momento histórico, eram considerados "menos que homens", os escravos que aqui viviam. Vamos verificar algumas destas singularidades de nosso patrono?

- Cidadão brasileiro - apesar de manter relações com membros do Império, incluindo Dom Pedro II, Benjamin era republicano e colocava suas ideias abertamente. Mesmo assim, a cordialidade e o equilíbrio faziam parte de sua conduta. Sem paixões e sem extremismos, sabia dialogar defendendo seus pontos de vista sem atacar ou depreciar seus oponentes. Um verdadeiro cavalheiro, sabia participar de um debate de ideias sem esquecer do respeito ao próximo;

- Abolicionista - Benjamin Constant era um abolicionista institucional e não possuia escravos. Na época, suas filhas participavam da manutenção da casa auxiliadas pelos chamados "escravos de ganho", que faziam serviços de vendas para os senhores ou poderiam ser alugados por terceiros. Teve papel importante na extinção da escravidão, contribuindo para a o "Fundo de Emancipação": um projeto de loterias para arrecadar recursos para o fundo que serviria para dar apoio aos libertos;
Benjamin Constant fardado.
- Apoiador da melhoria da condição feminina - com mais filhas que filhos, Benjamin estimulou e investiu para que suas moças aprendessem a ler e escrever, em um momento em que esse tipo de preocupação era considerado sem importância na educação feminina. Apesar de se dedicarem a serviços do lar, suas filhas também tinham opiniões políticas e as registravam, como é possível perceber através de "O Diário de Bernardina", uma de suas filhas, que em seu diário deixou um registro histórico, já aos 16 anos, dos bastidores da Proclamação da República. Benjamin também foi idealizador de cursos para mulheres na época em que atuou como Ministro da Educação, já na República.

- Apoiador e interessado nos problemas dos deficientes - além de investir num método mais fácil para ensinar matemática - sua área de atuação - aos estudantes do Instituto Imperial dos Meninos Cegos, Benjamin defendia políticas de inclusão social que ainda vemos hoje em dia. Ele se preocupava com o estabelecimento dos cegos como cidadãos emancipados, e era importante para ele dar uma profissão aos que se encontravam nesta condição, alguma fonte de renda que os deixasse na posição de verdadeiros cidadãos. Criando alguns fundos de auxílio e ainda propagando suas ideias, o patrono conseguiu alguns progressos na área, ainda naquele tempo.

Por tudo isso, podemos aduzir que, vivo hoje, Benjamin Constant estaria envolvido em diversas causas que continuam atuais e desafiando a sociedade no encontro de soluções. Mais adiante veremos cada uma destas causas e outras, menos votadas, desenvolvidas aqui em nosso blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Sua visita é muito importante para nós!