quinta-feira, 11 de outubro de 2012

A família de Benjamin Constant

A família Benjamin Constant Botelho de Magalhães por J. Insley em 1882.
Em pé, da esquerda para direita, vê-se: Adozinda, Aldina e Maria Joaquina.
Sentados: Alcida, Benjamin Constant, Bernardina e Benjamin Filho.


Casado em 16 de abril de 1863 com Maria Joaquina Bittencourt Costa, filha de Claudio Luis da Costa, então diretor do Instituto Imperial dos Meninos Cegos, Benjamin Constant teve uma família pequena - para os padrões da época - e muito feminina. Foram cinco meninas e três meninos, sendo que dois destes últimos vieram a falecer logo nos primeiros anos de vida.

A vida com sua esposa Maria Joaquina foi harmoniosa e tranquila. Durante a Guerra do Paraguai manteve uma extensa correspondência com ela o que nos deixou registros deste período trágico em sua vida. O primeiro filho foi a menina Aldina Botelho de Magalhães, nascida em 1864, dois anos antes de Benjamin ser convocado para o campo de batalha, e nas cartas a Maria Joaquina ele sempre perguntava pela "pequerrucha".

A segunda menina, Adozinda de Magalhães, nascida em 1866, foi uma das filhas que mais herdeiros deixou para a família. Casou-se com Álvaro Joaquim de Oliveira em 1885, e tiveram 9 filhos, entre meninos e meninas.
Benjamin e a esposa Maria Joaquina por Insley Pacheco - 1874.
A terceira filha foi Alcida Constant Botelho de Magalhães, nascida em 1869. Deixou 11 herdeiros para a família de seu casamento com José Belvilaqua.

Leopoldo H. de Magalhães é o primeiro filho homem que nasce em 1870 e falece no ano seguinte.

Em seguida nasce Benjamin Constant Filho, em 1871, que teve uma vida curta e um tanto conturbada. Morre em 1901, sem se casar nem deixar herdeiros, em circunstâncias não esclarecidas.

Cartas enviadas à Maria Joaquina durante a guerra do Paraguai.

Bernardina C. de Magalhães é a quarta menina e sexta filha do casal Benjamim e Maria Joaquina, e nasce em 1873. Também teve prole grande, contando com 10 filhos de seu casamento com João de Albuquerque Serejo. Bernardina ergue uma casa ao lado da casa do pai entre 1905 e 1920, onde hoje funciona a sede administrativa de nosso museu.

Em 1875 nasce o terceiro menino do casal: Claudio Botelho de Magalhães, que igualmente não resiste às doenças infantis da época e falecem logo em 1878.

Última filha do casal, Araci Constant Botelho de Magalhães nasce em 1882 e vive até 1961. Não se casou, não tendo filhos, mas viveu na casa do pai até seu falecimento.

Pequena árvore genealógica da família - clique para ver maior.

Os filhos de Aldina, Adozinda, Alcida e Bernardina formam a grande árvore genealógica dos herdeiros de Benjamin Constant que, até os dias de hoje, celebram sua memória.