sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Sorvete das antigas


A sorveteira de madeira e metal de Dona Maria Joaquina, esposa de Benjamin Constant.
Quem vive nos dias de hoje nem imagina como coisas comuns em nosso dia a dia eram diferentes no século XIX, quando viveu Benjamin Constant. Saborear um sorvete, por exemplo, até era possível, mas era bem complicado de fazer. Uma curiosidade exposta na copa do museu casa é justamente uma sorveteira, feita nos Estados Unidos, trazida de presente por Karl Fraenkel, genro do casal Benjamin Constant, à sua sogra, Dona Maria Joaquina.

O artefato e suas peças em metal, responsáveis por criar o doce.
O artefato é feito em madeira e várias peças em metal moldado, responsáveis pelo preparo do gelado. A peça tem formato circular e funcionava girando a manivela dentro da vasilha que continha a massa de sorvete, que também girava, apoiada em montes de sal e gelo. O resultado era a massa cremosa do sorvete. Gelo e sucos de frutas, além de leite, eram os ingredientes normalmente utilizados, como hoje em dia.

Nas imagens se vê a sorveteira de Dona Maria Joaquina e podemos imaginar quanto sabor e prazer ela trouxe à família.